Migrar de outra plataforma, tecnologia, linguagem, afins
26/05/2010 00:00
0
Ola's.

Quem veio de outros mundos, tem algo a dizer?

Eu mesmo vim do .Net, entao eu fico muito tempo perdida.

Uma vez fiquei 2 horas perdida sem saber como fazer algo no Grails. Eu nao sabia de algum caminho que nao fosse o gigante e que ate' complicaria e muito as coisas.

Fiz as contas e eu demoraria 30min para resolver esse problema em .NET. Comentei com outras pessoas o meu problema. Descobri que o que eu queria fazer ja' era padrao do Grails, era automatico.

Fazendo as contas eu demorei 2 horas para descobrir que algo que eu demoraria em 30min em .Net era automatico no Grails.

Incrivel <!-- s:mrgreen: --><img src="{SMILIES_PATH}/icon_mrgreen.gif" alt=":mrgreen:" title="Mr. Green" /><!-- s:mrgreen: -->

Mais alguem um comentario sobre as suas mudancas?
Tags: Off-Topic


0
Eu passei por isto algumas vezes.

Minha história de migração é mais ou menos assim.
No início eu usava Visual Basic 3 (TRÊS!!!!) e, naquele primeiro momento, como eu não sabia absolutamente nada, parecia lindo pra mim. Principalmente porque quando eu era criança, tinha um MSX e um TK 85 que usavam Basic. Então era mais ou menos a progressão natural naquela época.

Mas eu odiava. Eu sempre tinha a impressão de que não tinha controle sobre o que estava fazendo. Então fui pro Delphi. E nele fiquei alguns anos. No início, parecia lindo: eu realmente tinha mais controle sobre o que estava fazendo, e o Pascal, naquele primeiro momento, se mostrava pra mim como algo, por assim dizer, mais &quot;profissional&quot;. <!-- s:) --><img src="{SMILIES_PATH}/icon_smile.gif" alt=":)" title="Smile" /><!-- s:) -->

Mas eu acabei detestando com o tempo tabmbém e foi quando resolvi diversificar. Passei a aprender C, C++, PHP, e vàrias outras, mas sem me empolgar demais com nenhuma delas. Foi quando veio 1996 e surgiu o tal do Java e aquele negócio me encantou.

Fiquei então alguns anos estudando Java sem nunca ter a oportunidade de usar na prática - eu fazia Filosofia na época. Foi quando comecei a trabalhar com desenvolvimento de sistemas e então resolvi me aprofundar no bichinho que tanto gostava. E fiquei anos com Java. Mas no meio do caminho comecei a gostar de outras linguagens como Lisp (até hoje minha favorita), Groovy, Javascript (se mostrou bem mais poderoso do que eu achava até então), Erlang e mais algumas que não foram pra frente.

E ai eu tive de voltar pro VB. Desta vez o VB6 quando comecei a lidar com migração de sistemas pra Java e outras linguagens (e aprendi do pior modo possível que este papo de &quot;vamos reescrever o sistema do zero&quot; é a maior BURRADA do mundo em 99% dos casos).

Pois bem, recentemente tive de começar no .net para um projeto. E tudo de novo: tive de aprender o VB.net e C# mais frameworks novos e completamente diferentes pra mim até então, e por ai vai.

Como pode ver, são n mudanças, mas em todas elas observei o seguinte.
1. Este papo de &quot;lingaugem é tudo igual, só varia a sintaxe&quot; é balela. Os conceitos variam pra kcte de uma linguagem pra outra. Mesmo quando são parecidas, como o caso do Java e C#. A &quot;aparência&quot; sempre é só na superfície.

2. A cada nova linguagem aprendida, eu me torno um profissional MUITO melhor. Eu abro os horizontes. Ao programar em C# ou VB.net por exemplo, eu observo similaridades e diferenças com as linguagens com as quais trabalhei no passado. E isto me propicia chegar a soluções BEM mais interessantes.

3. Preconceito fede. Inúmeras vezes eu pegava uma linguagem desconhecida e pensava: &quot;que lixo! nem quero ver esta porra direito!&quot;. Pra que: pra depois de algum tempo me aprofundando descobrir que haviam aspectos incrívelmente bacanas naquelas linguagens.

4. Aparências enganam o tempo inteiro. Sempre que eu me pego aprendendo uma linguagem nova e pulando etapas (algo como &quot;eu não vou ler este capítulo sobre IFs e WHILES! É coisa pra bebês!&quot; eu dou com os burros n'água. SEMPRE rola uma diferença ou outra qeu eu num primeiro momento ignoro e depois, por causa disto, me ferro.


Sendo assim, as dicas que te dou são as seguintes:

1. Se você se pegar com preconceito com relação a alguma nova linguagem, ignore e tente sentir vergolha de si mesma (eu faço isto)
2. Leia LIVROS, não se baseie apenas em fórums ou artigos soltos na web ou em revistas. Livros expõem uma espinha dorsal pro aprendizado que, querendo ou não, por mais idiota que possa parecer, tem sentido (quando você escreve sobre o assunto, como é o meu caso, isto fica ainda mais nítido).
3. Se possível, leia estes livros inteiros. Eu sei, é foda ler um lviro sobre alguma linguagem inteiro. Da preguiça e sempre chega aquele momento no qual você pensa: &quot;já sou foda. já posso começar&quot;. Mas acredite: nunca é o caso. Eu mesmo li pouquíssimos livros de linguagens inteiros. Assim de cabeça só me lembro do &quot;C Programming Language&quot; de Kernighan e Ritchie (recomendo: é um dos melhores livros da área já escritos. mesmo que você nunca use C, vale a pena dar ao menos uma passada de olhos), um ou outro sobre Lisp (que até hoje sou louco pra por em prática) e recentemente um sobre .net, alguma coisa sobre Groovy, e só.


0
mas no fundo, tudo isto é só pra evitar aquele que, na minha opinião, é o maior perigo para um profissional. Determinismo linguístico.

Já falei tanto sobre isto que escrevi dois posts sobre o assunto no meu blog:
<!-- m --><a class="postlink" href="http://www.itexto.net/devkico/?p=292">http://www.itexto.net/devkico/?p=292</a><!-- m -->

<!-- m --><a class="postlink" href="http://www.itexto.net/devkico/?p=172">http://www.itexto.net/devkico/?p=172</a><!-- m -->


0
Puxa... <!-- s:shock: --><img src="{SMILIES_PATH}/icon_eek.gif" alt=":shock:" title="Shocked" /><!-- s:shock: -->

Preconceito... eu creio que o que eu tenho mesmo e' trauma sem motivo XD

Me lembro que quando eu estava na ETE (que o Serra resolveu chamar de ETEC) eu tinha uma revolta contra Java.
Me lembro que era padrao da sala. Ningue'm queria Java. Uhns porque queriam ser do contra, outros porque tinham se apaixonado pelo .Net e comecaram com birra, e outros tinham medo.

(me desculpe pela falta de acento, esse SunSolatis tira do pt sozinho)

Lembro que as aulas de Java foram as ultimas do curso e o professor tambem nao gostava de Java.

Eu tive um leve contato com o python/django e acabei largando porque comecei a estudar coisas diferente demais ao mesmo tempo. Ai veio o projeto com grails aqui na UMESP. Beleza, eu gostei.

Eu posso estar falando besteira, mas foi o primeiro MVC que eu gostei.

Eu mesmo gosto de .NET, mas achei o ASP.NET MVC bem fraquinho. Achei uma imitacao e que nao fazia o que era prometido.

Mas eu estou vindo de outro universo bem diferente (sim, eu acho bem diferente) e ainda me confundo muito. Passo horas pensando em como fazer algo que em .NET seria facil mas que eu nao consigo fazer em Grails/GRoovy pois estou usando os comando errados, que serviriam no meu caso anterior mas que sao ridiculos no atual, ou por que sao feitos de outro jeito, ou porque nao sao necessarios.

Livros... eu ainda tenho varios livros de .NET em casa. Vivo na biblioteca da universidade... pena que nao tem nenhum livro do genero la'. Sem falar que os livros me foram passados sobre grails sao e-books... acabo usando mais como guia de referencia e nao me prendem muito. Os livros impressos que tenho de .Net ja' li eles inteiros, ate' o que eu julgo ja' ter conhecimento, mas os e-books eu mal li. Doi os olhos ler um livro inteiro no pc, e nao, eu nao tenho um kindle ou coisa do genero.

Seria bom que tivessem mais livros sobre o assunto nas livrarias. Sou uma pobre estagiaria que nao tem cartao internacional para importar um livro <!-- s:oops: --><img src="{SMILIES_PATH}/icon_redface.gif" alt=":oops:" title="Embarassed" /><!-- s:oops: -->

Comentario off: eu adoro ler livros sobre todos os assuntos, o que contradiz o meu portugues...
26/05/2010 00:00


0
Então tenho uma solução para o seu problema com livros.

Assina a ACM (<!-- w --><a class="postlink" href="http://www.acm.org">www.acm.org</a><!-- w -->). Custa algo em torno de 20 a 30 dolares por ano e você vai ter acesso a centenas de livros online gratuitos (não da pra imprimir porque só são expostos trechos por vez (não resolve seu problema)) e mais alguns (menos, mas presentes) na íntegra em PDF pra baixar (o que resolve seu problema, porque imprimir fica mais fácil).

No caso, são os clássicos mesmo da computação. Mas quer saber? São os melhores! E se você pagar um pouquinho a mais (acho que uns 10 dolares anuais), vai ter acesso a algo que pra mim é a coisa mais linda da computação: a biblioteca de artigos deles. São MILHÕES de artigos acadêmicos, dissertações, pesquisas, desenvolvimentos sobre qualquer assunto que você possa imaginar.

Isto sem mencionar as revistas: ACM Queue e Communications of the ACM. SHOW de bola. As melhores que conheço, e vêm em PDF, fácil de imprimir também.

Eu também tenho problemas pra ler no computador. Sofro de enxaqueca crônica, então tenho de ficar o mínimo possível (em alguns períodos) de tempo na frente do PC. Sei bem como é o problema.


0
[quote=&quot;kicolobo&quot;]Então tenho uma solução para o seu problema com livros.

Assina a ACM (<!-- m --><a class="postlink" href="http://www.acm.org">http://www.acm.org</a><!-- m -->). Custa algo em torno de 20 a 30 dolares por ano e você vai ter acesso a centenas de livros online gratuitos (não da pra imprimir porque só são expostos trechos por vez (não resolve seu problema)) e mais alguns (menos, mas presentes) na íntegra em PDF pra baixar (o que resolve seu problema, porque imprimir fica mais fácil).

No caso, são os clássicos mesmo da computação. Mas quer saber? São os melhores! E se você pagar um pouquinho a mais (acho que uns 10 dolares anuais), vai ter acesso a algo que pra mim é a coisa mais linda da computação: a biblioteca de artigos deles. São MILHÕES de artigos acadêmicos, dissertações, pesquisas, desenvolvimentos sobre qualquer assunto que você possa imaginar.

Isto sem mencionar as revistas: ACM Queue e Communications of the ACM. SHOW de bola. As melhores que conheço, e vêm em PDF, fácil de imprimir também.

Eu também tenho problemas pra ler no computador. Sofro de enxaqueca crônica, então tenho de ficar o mínimo possível (em alguns períodos) de tempo na frente do PC. Sei bem como é o problema.[/quote]

Legal Legal Legal! Acabar a tinta de casa, mas...

O problema e' so' um: pagar em dolares. Nao tenho cartao internacional e nem jeito de usar dolares. WOW por exemplo eu so' jogo porque compro creditos em reais em lojas especiais, porque aranjar como mandar dolares para algue'm... nem sei como.
Agora vira um topico off mesmo: como pagar pelo conhecimento em dolares? Nao e' facil!
26/05/2010 00:00


0
Minha sorte que não havia preconceito na universidade onde estudava igual a MayogaX falou, obviamente todo o curso era favorecido para o Java (ainda bem?), mas também tinha PHP, flex, .Net, python, eu pude aprender muito, nunca gostei muito do JSF, sempre tive problemas principalmente com o ICEFaces (eu sei que existe outras implementações) mas mesmo assim era divertido desenvolver, .Net eu até hoje não gosto nem desgosto é indiferente, mas com o grails/groovy é algo além de divertido é interessante, tão interessante que até despertou o interesse em participar da comunidade aqui <!-- s:) --><img src="{SMILIES_PATH}/icon_smile.gif" alt=":)" title="Smile" /><!-- s:) -->.

[quote=&quot;kicolobo&quot;]...
Assina a ACM (<!-- m --><a class="postlink" href="http://www.acm.org">http://www.acm.org</a><!-- m -->). Custa algo em torno de 20 a 30 dolares por ano e você vai ter acesso a centenas de livros online gratuitos (não da pra imprimir porque só são expostos trechos por vez (não resolve seu problema)) e mais alguns (menos, mas presentes) na íntegra em PDF pra baixar (o que resolve seu problema, porque imprimir fica mais fácil).
...[/quote]

Nossa, muito interessante este site, nunca tinha visto, assim que der um tempo vou dar uma olhada melhor =D.
26/05/2010 00:00


0
[quote=&quot;lucasDie&quot;]Minha sorte que não havia preconceito na universidade onde estudava igual a MayogaX falou, obviamente todo o curso era favorecido para o Java (ainda bem?), mas também tinha PHP, flex, .Net, python, eu pude aprender muito, nunca gostei muito do JSF, sempre tive problemas principalmente com o ICEFaces (eu sei que existe outras implementações) mas mesmo assim era divertido desenvolver, .Net eu até hoje não gosto nem desgosto é indiferente, mas com o grails/groovy é algo além de divertido é interessante, tão interessante que até despertou o interesse em participar da comunidade aqui <!-- s:) --><img src="{SMILIES_PATH}/icon_smile.gif" alt=":)" title="Smile" /><!-- s:) -->.
[/quote]

Nem era universidade ainda, era o curso tecnico. Ele era voltado pro .Net e Delphi XD Na faculdade sim, só se fala de Java.
26/05/2010 00:00


0
É o que sempre digo aos meus alunos: aprendam algoritmo, linguagem cada um gosta de uma e uma é melhor pra uma coisa que outra, mas no fundo tudo é só algoritmo.

Um conselho, tornem-se bom em uma linguagem, mas aprendam ao menos uma nova linguagem por ano, ou de dois em dois anos, dêem chance para as coisa novas sempre.

Eu mesmo, profissionalmente, não programo mais, estou num nível gerencial, mas nem por isso deixei de aprender novas linguagens ou técnicas, a atual é o Groovy e o Grails.
27/05/2010 00:00


0
[quote=&quot;alyssonbruno&quot;]É o que sempre digo aos meus alunos: aprendam algoritmo, linguagem cada um gosta de uma e uma é melhor pra uma coisa que outra, mas no fundo tudo é só algoritmo.

Um conselho, tornem-se bom em uma linguagem, mas aprendam ao menos uma nova linguagem por ano, ou de dois em dois anos, dêem chance para as coisa novas sempre.

Eu mesmo, profissionalmente, não programo mais, estou num nível gerencial, mas nem por isso deixei de aprender novas linguagens ou técnicas, a atual é o Groovy e o Grails.[/quote]


Ah... ninguém disse que o algoritimo não é importante.
O assunto é migrar, aprender outra coisa.
Algoritimo é algoritimo, sem ele você não sabe como fazer as coisas.

Quando eu disse que perdi um tempam procurando como fazer tal coisa é porque eu queria saber a moda Grails. Se fosse para fazer como eu estava acostumada seria até que fácil. Mas eu justamente queria aprender a &quot;moda grails&quot; de se fazer as coisas.

E ninguém disse que é ruim aprender coisas novas. Muito pelo contrario.
Eu tenho só 3 anos nesse mundo e passei por C++, Delphi, C#, VB, Python (só um tiquinho) e PHP.
Na média foram (se eu não conta o Python que foi muito pouco) 2 por ano
27/05/2010 00:00



Ainda não faz parte da comunidade???

Para se registrar, clique aqui.


Aprenda Groovy e Grails com a Formação itexto!

Newsletter Semana Groovy

Assinar

Envie seu link!


Livro de Grails


/dev/All

Os melhores blogs de TI (e em português) em um único lugar!

 
Creative Commons
RSS Grails Brasil é mantido por itexto Consultoria.
Em caso de problemas contacte Henrique Lobo Weissmann (Kico) por e-mail: kico@itexto.com.br
Todo o conteúdo presente neste site adota o Creative Commons como licença padrão.
Ver: 4.14.0
itexto